Marcos Albuquerque.jpg

Marcos Albuquerque

Professor Adjunto da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) no Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPCIS) e no Programa de Pós-Graduação em História da Arte (PPGHA). Doutor em Antropologia Social pela Universidade Federal de Santa Catarina (2011). Possui graduação em Ciências Sociais, com habilitação em Antropologia, pela Universidade Federal de Campina Grande (2002) e mestrado em Sociologia pela Universidade Federal da Paraíba (2005). Atualmente é Coordenador do N.A.d.A (Núcleo de Antropologia da Arte) – UERJ; vice-coordenador do INARRA (Imagens, Narrativas e Práticas Culturais) – UERJ, também é filiado ao NEPI (Núcleo de Estudos das Populações Indígenas) – UFSC, ao LACED (Laboratório de Pesquisas em Etnicidade, Cultura e Desenvolvimento) – UFRJ, e vinculado à rede RAMA (Rede de pesquisas em memória, identidade, poder, ambiente e território). Tem experiência na área de Antropologia e Arte, com ênfase em arte étnica, performance, museus e antropologia visual.

E-mail

uerjmarcos@gmail.com

Projeto de pesquisa

marcos_albuquerque_projeto.jpg

Título

O dispositivo da autenticidade: a presença indígena nos museus​

Linha de Pesquisa

Arte e Alteridade

Descrição

Este projeto pretende investigar a presença indígena nos museus. Por “presença” aqui se entende o regime imagético que opera nessas instituições, ou seja, as modalidades de gestão da imagem do indígena. Os museus, os museus indígenas e “indigenizados” vêm se apresentando como um importante espaço de reflexão acadêmica. Neste projeto analiso as modalidades pelas quais a assinatura colonial se relaciona com a gestão metonímica do passado e do contemporâneo nessas instituições. Para isso, recorro à investigação de campo e etnográfica somada a problematizações teóricas sobre os efeitos do dispositivo da autenticidade na promoção intercultural de tradições indígenas.